Última hora
This content is not available in your region

Manifestação de protesto e homenagem em Minsk

euronews_icons_loading
Manifestação de protesto e homenagem em Minsk
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas reuniram-se, este sábado, nas ruas de Minsk, a capital da Bielorrússia, para prestar homenagem a um manifestante que morreu durante um protesto, na segunda-feira.

Pacificamente, as pessoas foram colocando flores no local onde Alexander Taraikovsky, de 34 anos, morreu, enquanto protestava contra reeleição do presidente Alexander Lukashenko.

No local, um bielorrusso afirmou que "é impossível viver assim por mais tempo. Neste momento, o poder está nas mãos daqueles que não têm direitos sobre ele, e as pessoas não estão de acordo. Há muito tempo que não estão de acordo, mas houve medo". Agora, garante, "o medo já não existe".

Oficialmente, Alexander Taraikovsky morreu durante os protestos do dia 10 de agosto, na sequência da explosão de um engenho que tinha nas mãos e que pretendia atirar contra a polícia.

Uma versão contestada pela companheira do manifestante. Elena German assegura que Taraikovsky foi abatido a tiro pelas forças de segurança enquanto reprimiam os protestos.

Ao visualizar um vídeo das manifestações, recolhido por uma agência de notícias, Elena afirma que o namorado não tinha nada nas mãos. Ouve-se os disparos da polícia e depois Alexander leva as mãos ao peito ensanguentado e cai.

Desde o início das manifestações, no dia nove de agosto, duas pessoas morreram, dezenas ficaram feridas e cerca de sete mil foram detidas.

Os protestos iniciaram-se após a reeleição do presidente Alexander Lukashenko, no poder desde 1996.

O chefe de Estado garantiu, este sábado, que os problemas no país irão resolver-se em breve, com a ajuda do presidente russo, Vladimir Putin.