EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Líder da oposição bielorrussa lança apelo

Líder da oposição bielorrussa lança apelo
Direitos de autor Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sviatlana Tsikhanovskaya pede a europeus para rejeitarem resultado das presidenciais

PUBLICIDADE

A líder da oposição da Bielorrússia, Sviatlana Tsikhanovskaya, apelou, esta terça-feira, aos líderes europeus para que não aceitem os resultados das eleições presidenciais, de nove de agosto, que classificou de fraudulentas.

Num vídeo enviado ao Conselho da Europa, publicado no YouTube, Tsikhanovskaya afirmou que o presidente Alexander Lukashenko "perdeu toda a legitimidade" aos olhos do povo bielorrusso e pediu aos líderes europeus para que apoiem o despertar da Bielorrússia e que "respeitem os princípios do direito internacional".

O apelo surge no dia em que a situação na Bielorrússia é discutida numa cimeira extraordinária da União Europeia.

O embaixador bielorrusso na Eslováquia, embora tenha manifestado, publicamente, o apoio às manifestações contra o presidente, acredita que não seria benéfico para os seu país ser alvo de sanções da União Europeia.

Igor Leshchanya afirmou ser "contra as sanções económicas pois não funcionaram com Saddam Hussein e não funcionam com a Bielorrússia. As sanções económicas influenciam as pessoas. É claro que deveria haver apoio político, mas nomeadamente os próprios bielorrussos deveriam tomar as decisões. Deveriam ser eles a resolver esta questão".

Alexander Lukashenko está no poder desde 1994 e desde as eleições de nove de agosto tem estado sob pressão. O presidente já afirmou que não vai convocar novas eleições e acusou a oposição de tentar tomar o poder.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morreu cidadão lituano detido na Bielorrússia

Prisioneiro político bielorrusso morre por alegada falta de cuidados médicos

Lukashenko afirma que Putin não lhe disse nada sobre a guerra com a Ucrânia