Última hora
This content is not available in your region

Oposição bielorrussa apela a mais sanções internacionais contra Lukashenko

euronews_icons_loading
Oposição bielorrussa apela a mais sanções internacionais contra Lukashenko
Direitos de autor  Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A líder da oposição bielorrussa exortou a Europa a impor mais sanções ao Presidente Alexander Lukashenko por causa da detenção de opositores políticos.

Svetlana Tikhanovskaya participou num fórum online do Conselho da Europa e mostrou-se preocupada com o paradeiro e bem-estar da também opositora ao governo, Maria Kolesnikova, desaparecida esta segunda-feira após uma manifestação em Minsk.

"Manifestantes pacíficos estão a ser ilegalmente detidos, espancados e encarcerados. Figuras da oposição são detidas sob falsas acusações, intimidadas e ameaçadas ou expulsas do país. Precisamos de pressão internacional sobre este regime, sobre este único indivíduo que se agarra desesperadamente ao poder", disse Tikhanovskaya.

No mesmo fórum, o Presidente da Comissão para os Assuntos Internacionais do Parlamento bielorrusso, Andrei Savinykh, acrescentou que o governo reconhece a necessidade de mudança no país, mas sublinha que essa mudança não será ditada a partir do estrangeiro.

"Uma parte significativa da sociedade bielorrussa quer uma mudança política estável. Nós, no parlamento, estamos prontos para essa tarefa e saudamos o maior debate possível sobre o tema. Mas este diálogo não deve desenvolver-se sob pressão da rua ou com mediação estrangeira", referiu Savinykh.

A Bielorrússia tem sido palco de várias manifestações desde 9 de agosto, quando Alexander Lukashenko conquistou um sexto mandato presidencial.

Nos primeiros dias de protestos, a polícia deteve cerca de sete mil pessoas e reprimiu centenas de forma musculada, levando a condenações internacionais e ameaça de sanções.