EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Navalny faz primeira publicação e diz que já consegue respirar sozinho

Navalny faz primeira publicação e diz que já consegue respirar sozinho
Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O opositor russo publicou uma fotografia no instagram onde escreveu que conseguiu passar um dia sem o suporte de respiração

PUBLICIDADE

Alexei Navalny anunciou através das redes sociais que já consegue respirar sozinho.

As novidades foram partilhadas no instagram, onde o opositor russo escreveu que conseguiu passar um dia sem o ventilador.

Na fotografia, Navalny está rodeado da equipa médica e da mulher.

"Olá, daqui é o Navalny. Estou com saudades. Ainda não consigo fazer quase nada, mas ontem consegui respirar sozinho o dia todo, por mim mesmo. Não usei nenhuma ajuda externa, nem mesmo a válvula mais simples na minha garganta. Gostei muito. Um processo incrível, subestimado por muitos.", escreveu. 

É a primeira publicação que Alexei Navalny faz depois de ter sido internado por suspeitas de envenenamento. O líder da oposição russa continua internado num hospital em Berlim, onde está desde o dia 22 de agosto, depois de ter sido transferido em coma de um hospital na Sibéria, onde foi primeiramente hospitalizado.

As análises médicas feitas no hospital alemão revelam que Alexei Navalny foi envenenado com Novichok, um agente nervoso criado pelos soviético na década de 70. Também a Suécia e a França tiveram acesso às análises de Navalny e  acabaram por confirmar a presença do mesmo agente nervoso.

Após esta confirmação, Emmanuel Macron pediu explicações à Rússia, que continua a negar qualquer envolvimento e pede provas de que o oponente foi mesmo envenenado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alexei Navalny sai do coma artificial

Rússia: a quinta tomada de posse de Vladimir Putin no Kremlin

Berlim: Fatou é a gorila mais velha do mundo ao completar 67 anos