This content is not available in your region

7.000 migrantes já estão instalados no novo acampamento de Lesbos

Access to the comments Comentários
De  Apostolos Staikos  com Ricardo Borges de Carvalho
euronews_icons_loading
7.000 migrantes já estão instalados no novo acampamento de Lesbos
Direitos de autor  Panagiotis Balaskas/Associated Press

Só esta sexta-feira mais de dois mil migrantes e refugiados instalaram-se no novo acampamento temporário em Kara Tepe, na ilha de Lesbos. Ao todo, são já cerca de sete mil as pessoas que ali vivem à espera de acolhimento dos países europeus.

Antes de entrarem são testados ao novo coronavírus. Mais de 170 migrantes deram positivo e estão agora em isolamento, numa parte do acampamento.

Uma delegação de eurodeputados esteve esta sexta-feira na ilha de Lesbos para avaliar as condições no novo campo.

A eurodeputada portuguesa do BE, Marisa Matias, foi bastante crítica com a situação destas pessoas.

"A União Europeia não pode dizer que tem os seus valores quando as pessoas vêm para a Europa, pedem ajuda e este é o tratamento que recebem. Faremos todos os esforços para termos uma resposta solidária coletiva, um programa de transferência e para evitar que isto se torne num segundo campo de Moria", disse.

Também o eurodeputado grego do Syriza, Kostas Arvanitis, considerou que o surgimento deste acampamento "é o exemplo da política do Sr. Margaritis Schinas (Vice-Presidente da Comissão Europeia) e da Sra. von der Leyen (Presidente da Comissão Europeia). Esta é a promoção do chamado "modo de vida europeu". É inaceitável! Esta política atinge os refugiados e afeta brutalmente a população local".

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, reuniu-se sexta-feira por videochamada com a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e com a Chanceler alemã, Angela Merkel. Um encontro para discutir formas de gestão operacional com a União Europeia para uma nova instalação permanente de acolhimento a ser construída em Lesbos.

Mitsotakis apresentou também um vídeo do novo acampamento temporário, em Kara Tepe, onde enalteceu a melhoria das condições de acolhimento aos migrantes em relação ao agora destruído campo de Moria.