Última hora
This content is not available in your region

Trump recua na proibição da TikTok nos EUA e anuncia acordo

euronews_icons_loading
Trump recua na proibição da TikTok nos EUA e anuncia acordo
Direitos de autor  NARINDER NANU/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente dos EUA desistiu de banir a aplicação Tiktok no país. Ao invés, Donald Trump anunciou um acordo entre a empresa chinesa, a multinacional de tecnologia Oracle e a Walmart.

O negócio assenta-se numa parceria entre as três empresas, para que a chinesa TikTok possa ter sede nos EUA. Essa era a condição do governo norte-americano, que acusava a TikTok de roubar dados aos utilizadores norte-americanos para proveito do governo chinês, acusação negada sempre pela China.

No discurso, Donald Trump, ainda cético com o acordo, diz que o negócio envolve a contratação de 25 mil pessoas com uma sede, "provavelmente, no Texas". O presidente norte-americano voltou a referir os "milhões de dólares em impostos que vão ser pagos em território norte-americano pela empresa chinesa." Trump confirmou ainda que a aplicação móvel vai continuar a chamar-se TikTok nos EUA.

Só nos EUA a aplicação tem perto de 100 milhões de utilizadores. No total, em todo o mundo, são perto de mil milhões as pessoas que usam a aplicação chinesa de partilha de vídeos.