EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Airbus apresenta aviões livres de emissões de CO2

Airbus apresenta aviões livres de emissões de CO2
Direitos de autor Airbus
Direitos de autor Airbus
De  Bruno Sousa
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Protótipos existem apenas no papel, a gigante da aeronáutica espera poder integrá-los na frota em 2035

PUBLICIDADE

A Airbus promete mudar radicalmente a indústria aeronáutica e propõe tornar-se na primeira construtora a incorporar na frota aviões com zero emissões de CO2. Por enquanto não passam de protótipos conceptuais, três, que usam o hidrogénio como fonte de energia.

Para a diretora tecnológica da empresa europeia, "a crise do coronavírus mostrou-nos que a prioridade não pode ser só a segurança, mas também a saúde e o ambiente", pelo que prometeram a eles próprios "colocar no mercado um produto com zero emissões de carbono".

Caso o projeto avance, os aeroportos terão de adaptar as infraestruturas existentes para assegurar o fornecimento de hidrogénio a estes aviões. O preço a pagar sempre que existe uma tecnologia que se predispõe a romper com o passado.

Grazia Vittadini não deixa margem para dúvidas quando refere que "querem ser pioneiros no setor com a criação desde projeto revolucionário, que vai ao encontro da vontade manifestada por Ursula von der Leyen no Parlamento Europeu de fazer da Europa o primeiro continente a estabelecer objetivos ambiciosos que possam garantir a sua sustentabilidade".

O projeto da Airbus, por enquanto, não passa do papel. De acordo com a gigante da aeronáutica europeia, caso a tecnologia evolua ao ritmo previsto, o primeiro avião livre de emissões de carbono poderá chegar aos céus europeus em 2035. O primeiro protótipo funcional está previsto para final da década de vinte.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Aviação vira-se para o óleo alimentar

Regras de segurança apertadas salvaram passageiros do avião que se incendiou em Tóquio

Camião a hidrogénio da Mercedes faz 1000 km sem parar