Última hora
This content is not available in your region

Europa aposta nos confinamento locais para combater covid-19

euronews_icons_loading
Europa aposta nos confinamento locais para combater covid-19
Direitos de autor  Martin Meissner/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Espanha está a apertar o controlo sanitário perante o "risco de transmissão descontrolada" da covid-19. O ministério da Saúde espanhol voltou a pedir limitações da mobilidade, redução dos encontros para um máximo de seis pessoas e o encerramento de parques infantis nas áreas de maior contágio.

As medidas deverão ser aplicadas nos municípios com mais de 500 infeções por 100 mil habitantes e ocupação das unidades de cuidados intensivos acima de 35%.

No entanto, Madrid recusa-se a impor as novas restrições. Com esta proposta do governo central quase toda a capital espanhola será afetada.

Dentro de algumas semanas, o primeiro-ministro Pedro Sánchez vai reunir-se com líderes regionais e a presidente da Comissão Europeia, para discutir a gestão dos fundos europeus de recuperação.

Merkel aguarda pelos fundos de recuperação

A questão preocupa também a Alemanha. Durante uma sessão parlamentar, Angela Merkel disse que, para ultrapassar a crise, o país vai precisar de pedir mais dinheiro emprestado e alertou para os meses difíceis pela frente na luta contra a pandemia.

"Toda a gente quer a vida que todos conhecemos, principalmente os jovens do nosso país, mas estamos a arriscar tudo o que conquistámos nos últimos meses. Não devemos deixar que restrições nacionais voltem a acontecer, porque isso representaria novamente o risco de grandes perdas económicas e emocionais, que uma pessoa tenha de morrer sozinha no hospital ou num lar, sem que os seus entes queridos possam segurar a sua mão", afirmou a chanceler alemã.

Boris Johnson quer "ação local forte"

No Reino Unido, o primeiro-ministro britânico apelou a um endurecimento das medidas sanitárias nas regiões do país onde o vírus está a manifestar mais incidência. A atuação foi proposta na Câmara dos Comuns, depois de ter sido registado o maior número de casos diários de coronavírus desde o início da pandemia, com mais de sete mil novas infeções,

Boris Johnson defende que agora a doença está mais localizada e que a estratégia passa por restrições em zonas específicas. Atualmente, o Reino Unido tem cerca 16 milhões de pessoas em confinamentos locais.