Última hora
This content is not available in your region

Mais de 150 mil mortos devido à Covid-19

euronews_icons_loading
Brazil
Brazil   -   Direitos de autor  Euronews/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O Brasil superou, no sábado, a barreira das 150 mil mortes ligadas à Covid-19. Ainda assim, e apesar de ser o segundo país a nível mundial com o maior número de óbitos, a verdade é que entre sexta-feira e sábado houve menos mortos.

O país soma, desde o início da propagação do vírus, mais de cinco milhões de casos confirmados de infeção. O número de casos ativos do vírus chega quase ao meio milhão.

Também no sábado, uma nova sondagem da Datafolha realizada em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife dizia que mais de 75% dos entrevistados, com idades a partir dos 16 anos, querem vacinar-se contra a doença, logo que seja possível. Mais de 70% defende que a mesma deve ser obrigatória. A margem de erro da sondagem é de três por cento. Em agosto, um outro estudo de opinião pública já dizia que nove em cada dez brasileiros quer ser vacinado.

Já o presidente brasileiro, Jair Bosonaro, que esteve infetado com o novo coronavírus, aparecia nas redes sociais, numa transmissão em direto, num passeio de moto pelo Guarujá, sem máscara e, mais uma vez, a minimizar o impacto da doença.

Depois do passeio em duas rodas altura para cumprimentar os "fãs" e explicar que quando esteve infetado não sentiu nada e dizendo, a uma senhora a quem pediu que tirasse a máscara, para não se preocupar se um dia for infetada.

No país, e contra Bolsonaro, os governos estaduais e locais aplicaram as medidas necessárias para evitar a propagação do vírus no início da crise sanitária, mas há vários meses que as elas estão a ser aligeiradas.