Última hora
This content is not available in your region

Tirol quer aprender com erros na gestão do coronavírus

euronews_icons_loading
Tirol quer aprender com erros na gestão do coronavírus
Direitos de autor  Ronald Zak/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O Estado do Tirol, na Áustria quer aprender dos erros do passado e reorganizar completamente o seu sistema de saúde.

Uma decisão em grande parte motivada pelo relatório demolidor acerca do sucedido na estância de esqui de Ischgl, em março, quand cerca de 11.000 turistas foram infetados com o coronavírus, espalhando-o depois pelos quatro cantos da Europa.

Georg Dornauer, líder da oposição socialista:"Todos sabem que foram feitos erros em termos de gestão da crise."

O líder da oposição socialista pede ações concretas do governador do Tirol.

Georg Dornauer, líder da oposição socialista:"Que pelo menos substitua o responsável do concelho estatal para a agenda política e a saúde, obrigando-o a demitir-se."

Mas o governo local prefere apostar na criação de novas estruturas, tanto no sistema de saúde, como para a gestão de crises, sob a tutela do responsável da força de resposta ao coronavírus.

Elmar Rizzoli, presidente da força de resposta ao coronavírus:"Em termos da gestão da crise no Tirol, queremos reorganizar-nos e estabelecer uma base mais alargada."

Muitos dos planos de emergência e gestão de crise serão revistos, implementando nomeadamente as recomendações feitas pelo relatório da comissão Ischgl.

Ronald Rohrer, presidente da comissão Ischgl:"O objetivo do relatório foi apontar os erros para serem evitados no futuro. E é também por isso que tem uma longa lista de recomendações no final."

Entre as críticas feitas pelo relatório, está o encerramento tardio das instalações da estância de esqui e a partida descoordenada dos turistas.

Johannes Pleschberger, euronews:"Os turistas de Ischgl abandonaram os vales do Tirol com grande pressa, mas sem qualquer registo, espalhando o vírus pela Europa. Mais de 1000 desses infetados juntaram-se a processos legais contra as autoridades austríacas, que irão a tribunal nas próximas semanas."