Última hora
This content is not available in your region

Estados Unidos: o estado da desunião

euronews_icons_loading
Estados Unidos: o estado da desunião
Direitos de autor  euronews / Andy Roesgen
Tamanho do texto Aa Aa

A divisão política nos Estados Unidos é um facto mas até que ponto é que essa divisão se tem vindo a aprofundar?

Começemos pelo caso simples dos cartazes eleitorais. Esquadras de polícia por todo o país dizem que nunca viram tantos cartazes roubados, desde o início da campanha eleitoral.

"Tive que madar fazer cartazes novos, onde se pode agora ler que roubar este cartaz é um crime," comentou uma residente em Racine, no estado de Wisconsin.

"Temos dois partidos que se odeiam tanto que não conseguem colocar os interesses do país em primeiro lugar," afirmou Jesse Kivenas, outro residente.

Desde os cartazes, ao movimento Black Lives Matter [Vidas Negras Importam], passando pelo debate sobre o aborto e agora o coronavírus, ninguém parece compreender como o país ficou tão dividido.

"Acho que é algo que aconteceu a pouco e pouco. Tanto democratas como republicanos têm uma longa e profunda história e cada um dos partidos defende essa tradição política," explicou o residente Mike Isaacson.

Na opinião de Frank Dickinson, residente em Port Huron, Michigan, "o gerrymandering, isto é, a redefinição dos distritos eleitorais de forma manipulativa, é uma das principais razões."

A estratégia favorece a re-eleição dos candidatos do partido no poder nesses distritos.

"O resultado é uma competição políca polarizada, os candidatos não precisam competir entre si, porque não terreno comum, e optam pelo extremismo," acrescentou Frank Dickinson.

O estado de Michigan, é um de 14 estados onde o governo está dividido. A governadora é do partido democrata e a legislatura é controlada pelos republicanos.

Em Wisconsin, por exemplo, o governador democrata ordenou em março o confinamento deviso á pandemia. Dois meses depois, os republicanos que controlam a legislatura reverteram a decisão, que resultou nas enchentes em bares e restaurantes de clientes sem máscara. De seguida, o governador reduziu a capacidade da restauração a 25% dos clientes mas os republicanos reverteram esta medida. E, por sua vez o governador decretou a obrigatoriedade do uso de máscara em todo o estado mas os republicanos ainda estão em tribunal para tentar reverter esta medida.

A competição polarizada reflete-se também a nível nacional na corrida à Casa Branca de Joe Biden e Donald Trump.

"Os eleitores indecisos são poucos neste momento e no chamado diagrama de Venn não há zona de sobreposição entre o Biden e o Trump. Por isso, ou se é a favor ou contra um eles," comentou a professora de Ciências Políticas na Universidade de Wisconsin em Milwaukee, Paru Shah.

"Vai ser preciso um líder especial, para tentar unir as pessoas. Não sei se temos esse líder," disse Frank Dickinson.

E a persistência dos famosos roubos de cartazes eleitorais são um sinal de que os tempos não são bons.

"Houve violência antes das eleições, e é provável que também haja violência depois," afirmou William Schalk, apoiante de Joe Biden.

"A divisão é assustadora," arrematou Kathy Johnson, apoiante de Donald Trump.