EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

EUA e Índia assinam tratado militar

EUA e Índia assinam tratado militar
Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Acordo tem como pano de fundo tensões dos dois países com a China. Questão da fronteira dos Himalaias tem colocado Nova Deli contra Pequim.

PUBLICIDADE

Em plena contagem decrescente para as eleições presidenciais americanas, EUA e Índia assinaram um tratado que permite o aumento da partilha de informação militar. Na prática, as Forças Armadas dos dois países passam a poder aceder à informação topográfica, náutica e aeronáutica, obtida pelos respetivos satélites.

De visita a Nova Deli juntamente como o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, o secretário da defesa dos EUA falou numa aliança crítica para a segurança regional.

"Com base nos nossos valores partilhados e interesses comuns, estamos juntos no apoio de um Indo-Pacífico livre e aberto a todos. Particularmente à luz da agressão crescente e atividades destabilizadoras da China", sublinhou Mark Esper.

O Acordo de Partilha e Cooperação Básicas sobre Cooperação Geoespacial (BECA, no acrónimo em língua inglesa) está a ser promovido como um instrumento de contenção da China.

A visita de Mark Esper e do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, à Índia evidencia a postura de Donald Trump em relação a Pequim, que tem sido um dos pilares da política externa da sua administração.

Citado pela agência Reuters, o chefe da diplomacia dos EUA sublinhou que "Os líderes e cidadãos veem com cada vez mais clareza que o Partido Comunista Chinês não é amigo da democracia, do Estado de direito, da transparência ou da liberdade de navegação – os alicerces de uma Ásia-Pacífico livre, aberta e próspera”, deixando antever o futuro tenso da geopolítica mundial.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dalai Lama recebe delegação de congressistas norte-americanos na Índia

Governo australiano saúda libertação de Julian Assange

Netanyahu diz que envio de armamento dos EUA diminuiu e admite fim da "fase intensa" dos combates