Covid-19: Air France e KLM registam perdas colossais

Covid-19: Air France e KLM registam perdas colossais
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O grupo Air France-KLM anunciou perdas colossais no terceiro trimestre de 2020, assim como o construtor europeu de aviões, Airbus.

PUBLICIDADE

Enquanto os países europeus regressam às medidas mais rigorosas para combater a COVID-19, a indústria da aviação vai sendo empurrada cada vez mais para o vermelho.

As receitas do terceiro trimestre do grupo Air France-KLM baixaram para 2,5 mil milhões de euros. No ano passado foram de 7,6 mil milhões. O número de passageiros caiu 70%.

O grupo afirma ter registado um prejuízo de 1,7 mil milhões de euros, no terceiro trimestre de 2020. Em 2019, no mesmo período, o lucro das duas companhias - Air France e KLM - ascendeu a 363 milhões de euros.

Também o fabricante europeu de aviões está a braços com a gestão do impacto das novas medidas restritivas. A Airbus anunciou perdas de mil milhões de euros no terceiro trimestre de 2020.

A recuperação do setor das viagens aéreas está a revelar-se muito mais lento do que o esperado.

O presidente, Guillaume Faury, diz que as operações do grupo estão em constante adaptação de forma a lidar com o evoluir da pandemia e mantém o diálogo com os governos:

Recentemente temos conversado muito com os governos para nos certificarmos que as medidas que eles põem em prática são o melhor compromisso entre o que têm de fazer para conter a pandemia - e é realmente importante que isso aconteça -, e o menor impacto na vida económica e na das grandes corporações industriais como a Airbus e os nossos fornecedores".

A Airbus prevê que o tráfego aéreo só regresse aos níveis de 2019 entre 2023 e 2025.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo confinamento no Reino Unido

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo

Regras de segurança apertadas salvaram passageiros do avião que se incendiou em Tóquio