Varsóvia enche-se de ativistas contra limitação do direito ao aborto

Varsóvia enche-se de ativistas contra limitação do direito ao aborto
Direitos de autor APTV
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Manifestantes desafiaram restrições impostas para conter avanço da pandemia de Covid-19 e protestaram em massa.

PUBLICIDADE

Sem receio de consequências legais, cerca de cem mil pessoas, oriundas de diferentes partes da Polónia, desafiaram as restrições impostas por causa da pandemia de Covid-19 para se fazerem ouvir, alto e bom som, em Varsóvia.

Esta sexta-feira, voltaram a protestar contra a decisão do Tribunal Constitucional, que conta com o apoio do Governo, de tornar o aborto praticamente impossível.

O Tribunal Constitucional considerou que o aborto em casos de malformação do feto é ilegal, precipitando uma vaga de protestos à escala nacional. Estes procedimentos representam cerca de 96% dos abortos legais no país.

O protesto desta sexta-feira é a maior de sempre desde que o Partido ultra católico Lei e Justiça está no poder.

As manifestações da "Marcha por Varsóvia" são de natureza pacífica, mas há registo de casos de ativistas de extrema-direita, que prometem proteger igrejas, e de hooligans envolvidos em contramanifestações contra os ativistas.

A polícia de Varsóvia deu conta numa dezena de detenções. O primeiro-ministro, Mateusz Morawiecki, acusou os manifestantes de "vandalismo" e associou os protestos ao aumento do número de casos de Covid-19 no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Deputados argentinos aprovam despenalização do aborto

ONG's alertam para ação da polícia na Polónia

Polónia: eleições locais mostram que conservadores continuam a ser força política de peso