EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Bruxelas quer comprar vacina da Moderna

Bruxelas quer comprar vacina da Moderna
Direitos de autor AP / Hans Pennink
Direitos de autor AP / Hans Pennink
De  Teresa Bizarro com Agências
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A presidente da Comissão Europeia anunciou esta segunda-feira que espera concluir contrato com a empresa norte-americana "muito em breve". Será o sexto contrato de compra de vacinas

PUBLICIDADE

A União Europeia está em negociações com a empresa biotecnológica norte-americana Moderna para a reserva antecipada de vacinas para a Covid-19. A garantia é da presidente da Comissão Europeia, no dia em que a empresa divulgou dados que apontam para uma taxa de eficácia de 94,5 por cento na imunização contra a Covid-19. É para a já a substância com melhor desempenho. Von Der Leyen garante que as conversas exploratórias "já foram concluídas" e espera fechar um contrato "muito em breve".

Bruxelas já garantiu contratos com 4 laboratórios e prepara-se para assinar esta terça-feira mais um, com a farmacêutica alemã CureVac. A presidente da comissão reconhece que não se sabe ainda que vacina vai ser eficaz, mas garante que o crivo da autoridade europeia do medicamento vai ser apertado. Por isso, diz, é "importante ter um portefólio alargado de vacinas, baseadas em diferentes tecnologias".

A carteira da União Europeia já inclui um contrato de 300 milhões de doses ao consórcio liderado pela Pfizer - que anunciou ter uma substância com 90 por cento de eficácia na prevenção da doença.

O acordo a assinar com a CureVac prevê a aquisição de 405 milhões de doses.

Contratos que surgem numa altura em que a Aministia Internacional volta a criticar os países ricos por desviarem antecipadamente as vacinas. A organização exige que, em caso de sucesso, os grandes laboratórios partilhem a formula e a tecnologia.

Bruxelas lembra que está a trabalhar com a Organização Mundial de Saúde na iniciativa CoVax para fornecer proteção aos países pobres.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Democratas pressionam Joe Biden para reavaliar candidatura às presidenciais

Biden infetado com covid-19 suspende ações de campanha

Reino Unido procura reconstruir as relações com a Europa