Última hora
This content is not available in your region

Teletrabalho num quadro idílico

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Teletrabalho num quadro idílico
Direitos de autor  Jaime Velásquez
Tamanho do texto Aa Aa

Christine Bay é fotógrafa e designer gráfica e trabalha metade do ano a partir de casa. Desta vez decidiu trocar a sua cidade, na Alemanha, por um escritório diferente, nas ilhas Canárias.

Christine Bay, fotógrafa e designer:"Quando telefono aos amigos, dizem-mse que estou de férias... Mas não são férias. Trabalho aqui o mesmo número de horas todos os dias. É verdade que tenho uma piscina à frente, bem como o oceano, mas continuo a fazer o meu trabalho quotidiano e só depois é que, eventualmente, vou dar um mergulho ou passear."

Tal como muitos outros, Christine decidiu escapar ao frio e às restrições ligadas à pandemia de coronavírus na Europa.

Christine Bay, fotógrafa e designer:"Penso que, se tivesse ficado em casa, no meu apartamento, a trabalhar sem contacto com ninguém, com um tempo frio e escuro, ficaria deprimida."

O arquipélago espanhol das Canárias é um popular destino de férias, mas a pandemia esvaziou hotéis e atrações turísticas e a região estima as perdas consequentes em 16 mil milhões de euros este ano.

Jaime Velázquez, euronews:"O setor do turismo está a sofrer nas Canárias devido à pandemia de Covid-19. O governo regional lançou uma campanha para tentar atrair 30.000 teletrabalhadores, como fonte alternativa de rendimento."

Uma grande parte dos trabalhadores europeus passou a um regime de teletrabalho a tempo inteiro em consequência da pandemia. As ilhas Canárias estão a tentar convencê-los a transferir os postos de trabalho caseiros para um am biente mais agradável.

José Juan Lorenzo, diretor da Promotur Canárias:"Trata-se de aplicar os nossos conhecimentos na indústria turística, na forma de acolher pessoas e cuidar delas, para conseguir obter estadias mais prolongadas. As Canárias reúnem todas as condições."

Esta estância, que antes recebia dezenas de turistas, transformou-se agora num espaço de vida e centro de trabalho à distância.

Nacho Rodríguez, fundador da RePeople.co:"O teletrabalho pode ser solitário, especialmente quando trabalhamos em casa, porque não interagimos socialmente, como num escritório. Ao oferecer um espaço de coabitação, na Grã Canária, ficamos a ganhar em todos os aspetos."

Trocando as roupas quentes por "t-shirts" e sandálias, estes teletrabalhadores partilham projetos e planeiam juntos também atividades de lazer no quadro relaxante e idílico das Canárias, mas apenas para depois de cumprido o trabalho do dia.