Última hora
This content is not available in your region

Europa ensaia primeiros passos para o desconfinamento

Access to the comments Comentários
De  Joao Duarte Ferreira
euronews_icons_loading
Europa ensaia primeiros passos para o desconfinamento
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Há luz ao fundo do túnel, afirma o primeiro-ministro britânico.

Boris Johnson revelou esta segunda-feira um plano até à primavera do próximo do ano.

As restrições impostas pelo novo confinamento terminam no dia 2 de dezembro e não serão renovadas no Reino Unido, diz Johnson.

Oprimeiro-ministro promete um grande programa comunitário de testes.

Uma nova abordagem regional com escalões mais restritos será também implementada.

E o governo já encomendou 100 milhões de doses da nova vacina desenvolvida em Oxford o que eleva o total para 350 milhões para o Reino Unido.

"Em muitos aspetos 2020 tem sido um ano trágico, muitos perderam entes queridos, enfrentam a ruína financeira e o inverno será duro. O Natal não será normal e ainda falta muito para a primavera mas o pior já passou e há luz ao fundo do túnel", disse Boris Johnson.

O líder da oposição trabalhista afirmou que iria apoiar a distribuição da vacina pelo país, discordando contudo dos novos escalões definidos por primeiro-ministro.

"O primeiro-ministro propõe o regresso a um sistema de três escalões. É arriscado. Porque o sistema anterior não funcionou. As áreas no escalão 1 acabaram no escalão 2; quase todas as áreas no escalão dois terminaram no três e todos aqueles no escalão três não tiveram saída e isso acabou num confinamento nacional", disse Keir Starmer, líder do Partido Trabalhista.

Entretanto, em Barcelona, bares, restaurantes e cafés foram autorizados a reabrir.

Durante 40 dias tudo se limitou a encomendas para levar para casa.

No entanto, os casos de infeção estabilizaram.

O recolher obrigatório a partir das 10 da noite mantém-se e as autoridades não colocam de parte o regresso das restrições.

Em França, as autoridades poderão igualmente levantar algumas restrições a partir de 1 de dezembro.

O governo francês anuncia os planos esta terça-feira.