EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Colégio Eleitoral confirma vitória de Biden

Colégio Eleitoral confirma vitória de Biden
Direitos de autor Susan Walsh/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Susan Walsh/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Grandes eleitores dos Estados onde Trump contestou resultados votaram a favor do candidato democrata

PUBLICIDADE

Joe Biden está um passo mais próximo da Casa Branca. O Colégio Eleitoral dos Estados Unidos confirmou a vitória do candidato democrata nas eleições presidenciais de novembro.

A vitória de Biden ficou consolidada com o voto favorável dos 55 grandes eleitores da Califórnia, momento em que o presidente-eleito passou a contar definitivamente com mais do que os 270 apoios necessários para ser confirmado no cargo.

Sem dúvida com um sabor especial para o campo democrata, os grandes eleitores dos seis Estados nos quais o presidente Donald Trump apresentou queixas de fraude eleitoral confirmaram todos a vitória do democrata.

O povo votou e a fé nas nossas instituições foi mantida. A integridade das eleições mantêm-se intacta. E, por isso, é o momento de virar a página, como sempre fizemos ao longo da história. Unir-nos, sarar as feridas.

Tal como disse durante a campanha, serei o presidente de todos os norte-americanos. Precisamos de trabalhar juntos para dar-mos a hipótese de baixar a temperatura e, acima de tudo, precisamos de unir-nos em solidariedade.
Joe Biden
presidente-eleito dos EUA

Biden arrecadou o voto de 306 grandes eleitores, contra 232 para Trump.

Na última semana, o Supremo Tribunal já tinha rejeitado as tentativas do atual presidente de contestar os resultados das eleições em vários Estados. A alta instância do Wisconsin foi a mais recente a dar, ontem, um parecer contra Trump.

Resta ao presidente um último reduto, mas que é visto como uma estratégia desesperada e sem hipóteses, a sessão de 6 de janeiro nas duas Câmaras do Congresso que deverá validar os votos do Colégio Eleitoral.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Michael Rezendes: "Trump quer continuar a governar como um ditador"

Supremo rejeita ação para impugnar presidenciais norte-americanas

Peritos não acreditam que acusações de Trump cheguem ao Supremo