EUA aprova segunda vacina anti Covid-19

EUA aprova segunda vacina anti Covid-19
Direitos de autor Elise Amendola/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Elise Amendola/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Joao Duarte Ferreira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Segundo a FDA, vacina dos Laboratórios Moderna é segura e tem uma taxa de eficácia de 94%

PUBLICIDADE

As autoridades norte-americanas já aprovaram a segunda vacina anti Covid-19.

A aprovação da vacina dos laboratórios Moderna tem lugar cerca de uma semana após a vacina da Pfizer/BioNTech ter recebido luz verde da entidade reguladora, FDA.

"Entre a Pfizer e a Moderna devemos ter doses suficientes este mês de dezembro para imunizar os primeiros 20 milhões de pessoas no que esperamos ser um primeiro esforço para lidar com este vírus, embora vá demorar muitos mais meses para levar esta vacina a todos os norte-americanos", afirmou o Dr. Francis Collins, diretor do Instituto Nacional de Saúde.

As autoridades já chegaram a acordo para a compra de 200 milhões de doses da vacina. 

O país detém o recorde de vítimas tendo já ultrapassado a barreira das 313,500 mortes e 17,5 milhões de infetados.

"Francamente, se não conseguirmos imunizar 80% da população até junho de 2021, corremos o risco da pandemia se prolongar. É por isso que é importante. Vai ser preciso trabalhar muito para levar esta informação às pessoas e elas poderem decidir", adiantou o Dr. Collins.

As autoridades anunciaram esta semana que a vacina da Moderna é segura e tem uma taxa de eficácia de 94%.

O vice-presidente norte-americano, Mike Pence, já foi vacinado tendo as imagens sido difundidas ao vivo pela televisão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cientistas acreditam na eficácia da vacina contra a Covid-19

Arranca a campanha de vacinação nos EUA

Homem imolou-se no exterior do tribunal onde Donald Trump está a ser julgado