EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Covid-19 aumenta em África

África com mais casos de Covid-19
África com mais casos de Covid-19 Direitos de autor .
Direitos de autor .
De  euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vacinação contra o novo coronavírus deve começar em abril, no continente.

PUBLICIDADE

O número de casos de Covid-19 está a aumentar, em África. Até agora, o continente parece ter resistido melhor à pandemia, do que outras regiões do globo, no entanto, a situação parece estar a inverter-se.

Apesar das medidas adotadas pelos vários países o continente registou um aumento de 11% de novas infeções pelo novo coronavírus, na última semana.

Entre os países mais atingidos pela nova vaga, o Egito registou o maior aumento, mais 80% de novos casos, em relação à semana anterior.

A África do Sul, é o país com o maior número de infetados por Covid-19, no continente, viu as novas infeções aumentarem em 20%, nos últimos sete dias.

A evolução da pandemia em países como a Tunísia, a Argélia, Marrocos, Etiópia e Nigéria preocupa, também, as autoridades internacionais de saúde.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana, o continente regista mais de dois mil e setecentos milhões de infetados e cerca de 65 mil mortes. A organização estima que a vacinação contra a Covi-19, na maior parte do continente, comece apenas em abril de 2021. O diretor, John Nkengasong, apontou dificuldades de financiamento e disponibilidade de vacinas.

Para atingir o objetivo de vacinar pelo menos 60% da população, África precisará de cerca de 1,5 mil milhões de doses de vacinas que, segundo as estimativas atuais, poderiam custar entre 8 mil milhões e 16 mil milhões de dólares, com custos adicionais de 20-30% para a entrega.

O programa de vacinação da iniciativa Covax, lançada pela OMS para a distribuição justa de vacinas, prevê distribuir pelo menos dois mil milhões de doses até ao final de 2021 de forma a imunizar 20% das pessoas mais vulneráveis em 91 países pobres, principalmente em África, na Ásia e na América Latina.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Passagem de S. Nicolau por lar de terceira idade faz 27ª vítima mortal

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo

Rishi Sunak pede desculpa aos familiares das vítimas da Covid-19