Última hora
This content is not available in your region

Europa prepara novos confinamentos

euronews_icons_loading
Europa prepara novos confinamentos
Direitos de autor  LM Otero/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Na Europa, vários países preparam-se para um novo confinamento, com os números do vírus a disparar.

Irlanda

Depois de um confinamento de seis semanas, no início de dezembro, tudo parecia estar bem. O país tinha a mais baixa taxa de infeção por coronavírus da União Europeia. Mas, a partir daí, as coisas pioraram. Os números do vírus subiram com a socialização nos lares durante o Natal, a reabertura dos restaurantes e a nova variante mais transmissível do vírus.

A preocupação aumentou depois os números terem mostrado que a Irlanda tinha o maior número de novos casos de Covid por milhão de pessoas em todo o mundo. O número de hospitalizações disparou no final de dezembro e início de janeiro.

Isto significa mais restrições. O primeiro-ministro Machéal Martin pediu a todos os cidadãos que usem sempre a máscara. A Associação Irlandesa de Consultores Hospitalares descreve a pressão sobre os hospitais como "uma verdadeira emergência nacional".

Reino Unido

Entretanto, o Reino Unido vive a pior crise desde o início da pandemia. Em Inglaterra, foram abertos centros de vacinação por todo o país, em locais como estádios de futebol e um hipódromo. O objetivo do governo é que até ao final deste mês ninguém viva a mais de 10 milhas (cerca de 15 quilómetros) de um destes centros.

O ministro da saúde. Matt Hanccok, pede que todos sigam as regras: "Enquanto este trabalho crucial está a prosseguir, cada um de nós deve continuar a prevenir-se do vírus, seguindo as regras que estão em vigor. Por favor, faça a sua parte, ajude a manter a força do Serviço Nacional de Saúde (NHS) enquanto arregaçamos as mangas e tornamos este plano ambicioso uma realidade. Por favor, fiquem em casa para proteger o NHS e salvar vidas".

Albânia

A Albânia também começou a vacinar. O Primeiro-Ministro Edi Rama foi um dos primeiros a recebê-la. Acusou a União Europeia de estar a deixar os Balcãs Ocidentais para trás nos esforços de imunização, já que a região está fora das fronteiras do bloco. A Albânia assegurou o seu próprio fornecimento de vacinas: "Estamos livres de um pesado fardo, o fardo da responsabilidade de não permitir que os albaneses permaneçam em último lugar na fila de espera", disse Rama.

Portugal

Depois de ter atingido um novo recorde de mortes diárias e com a pressão sobre os hospitais maior do que nunca, o país prepara um novo confinamento que deve entrar em vigor esta quinta-feira.