Última hora
This content is not available in your region

Consumo de álcool aumenta na Hungria

euronews_icons_loading
Consumo de álcool aumenta na Hungria
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

As ruas do bairro mais animado de Budapeste estão desertas.

Os afamados restaurantes e bares da capital húngara estão encerrados há meses. Ainda assim, o consumo de álcool em Budapeste não caiu, muito pelo contrário como explica a correspondente da euronews, Nora Shenouda.

"Apesar dos restaurantes e bares terem encerrado durante a maior parte de 2020, isso não significa que o consumo de álcool tenha decaído entre os húngaros. Novos dados estatísticos sugerem que o consumo de álcool terá aumentado 75%, em fevereiro e 50% em março do ano passado, em comparação com o mesmo período de 2019".

A euronews falou com uma psicóloga que afirma que a explicação pode residir na sensação de insegurança causada pela pandemia.

Tudo é muito imprevisível e as pessoas não controlam a situação, e isso causa ansiedade. As pessoas tentam aliviar isso com álcool, defende a especialista, Anna Zsófia Rácz.

"Estamos a aplicar estratégias diferentes para lidar com a situação, porque varia consoante os indivíduos. Podemos dividir as pessoas em duas categorias: numa, há um mecanismo de sobrevivência focado no problema; noutra, o mecanismo é focado nas emoções. As pessoas na primeira categoria são práticas, procuram soluções e preparam um plano de ação. Quem aplica o mecanismo baseado nas emoções tenta diminuir as emoções negativas causadas pelo stress. Existem vários métodos para lidar com isto, como o humor, e outras medidas menos eficazes como beber álcool".