EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Mais de cinco mil apoiantes de Navalny detidos

Mais de cinco mil apoiantes de Navalny detidos
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Teresa Bizarro com AP, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Manifestações a favor do principal opositor a Putin espalham-se por uma centena de cidades. Navalny volta esta terça-feira a tribunal

PUBLICIDADE

Mais de 5400 pessoas foram detidas na Rússia este domingo. O número é avançado pela organização não governamental OVD-info. A maior parte das detenções ocorreram em Moscovo e São Petersburgo durante as manifestações a favor de Alexei Navalny.

Pelo segundo fim-de-semana consecutivo, os russos saíram à rua. Pedem a libertação do principal líder da oposição num protesto que, desta vez, se espalhou a cerca de uma centena de cidades.

Na capital, a polícia surpreendeu os manifestantes ao bloquear o acesso ao centro. Victor, um manifestante de 25 anos, traça um relato de violência nas ruas de Moscovo. "Os polícias subiram a correr e imediatamente começaram a bater. Deram-me com um bastão nas costas. Eu estava apenas a caminhar com as mãos para baixo, não compreendo porque me bateram," conta.

Entre frases de protesto contra Vladimir Putin e em defesa da libertação de Alexei Navalny, os manifestantes mostram o descontentamento com o governo. 

"Estamos fartos. Tenho estado à espera do momento em que as pessoas finalmente se revoltem e se comecem a manifestar publicamente. Mas penso que isto é apenas o começo, o que acontecer depois vai ser mais duro," diz Anna Yakubova, uma chef de 37 anos que se juntou ao protesto na capital.

Navalny deve ser ouvido em tribunal esta terça-feira. É acusado de violar o controlo judicial e enfrenta a possibilidade de ver convertida em mais de dois anos de prisão efetiva a pena suspensa, proferida em 2014.

A comunidade internacional, sobretudo a União Europeia e os Estados Unidos, criticaram duramente a Rússia e pediram a libertação imediata de Navalny. Na resposta, Moscovo avisou que esta é uma questão interna e que não admite interferências do exterior.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia russa trava manifestações de apoio a Alexei Navalny

Putin substitui Shoigu porque quer Ministério da Defesa "aberto à inovação"

Putin substitui ministro da Defesa. Shoigu será secretário no Conselho de Segurança da Rússia