Última hora
This content is not available in your region

Países Baixos prolongaram recolher obrigatório

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Países Baixos prolongaram recolher obrigatório
Direitos de autor  Thomas Samson/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Os Países Baixos prolongaram o recolher obrigatório até 2 de março. Na semana passada, Haia tinha prolongado até à mesma data outras restrições, como o encerramento de bares, restaurantes e de lojas não essenciais. Segundo as autoridades de saúde holandesas, a variante britânica representa dois terços das novas infeções.

A Comissão Europeia está a pedir aos Estados-membros que doem algumas das suas vacinas contra a Covid-19 à Ucrânia. Um pedido que acontece numa altura em que o país se prepara para começar a campanha de vacinação. A Ucrânia vai receber oito milhões de doses do programa COVAX, cinco milhões da chinesa CoronaVac e 12 milhões da Astrazeneca e da Novavax. Números insuficientes para um país com cerca de 40 milhões de habitantes.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu ajuda à União Europeia: "Acordámos fornecimentos da Pfizer, Sinovac, AstraZeneca e Novavax. A primeira fase da vacinação vai começar este mês. Os nossos médicos, militares e Guarda Nacional vão receber a vacina".

Em França, o ministro da Saúde exortou os profissionais de saúde a serem vacinados, depois de ter tomado a sua primeira dose da vacina da AstraZeneca. A África do Sul diz que não vai usar esta vacina, por recear que não seja eficaz na nova variante que surgiu no país. Mas Olivier Veran diz que essa variante em particular foi pouco detetada em França.

Em Itália, as pessoas com mais de 80 anos que não vivem em lares começaram a ser vacinadas. A segunda fase de vacinação deve acabar no final de abril. E as crianças estão a ser testadas com a ajuda de palhaços.

Segundo os dados do site Our World in Data, Portugal deixou de ser o país com mais novos contágios pelo novo coronavírus. E o número de mortes divulgado esta segunda-feira, 196 nas últimas 24 horas, é o mais baixo das últimas três semanas.