Última hora
This content is not available in your region

UE pode ajudar a recuperar o acordo do nuclear iraniano

euronews_icons_loading
UE pode ajudar a recuperar o acordo do nuclear iraniano
Direitos de autor  ATTA KENARE/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

O acordo do nuclear iraniano foi um marco da política externa da administração Obama. Trump fez dele letra morta, mas com a eleição de Biden volta a esperança.

O embaixador do Irão nas Nações Unidas, Majid Takht Ravanchi, disse à Euronews que a União Europeia pode ter um papel nesse caminho.

"Há papéis específicos que a UE pode e deve desempenhar. Uma das questões que foi mencionada pelo nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros, Dr. Zarif, foi o papel que a UE pode desempenhar a fim de facilitar o regresso dos Estados Unidos ao acordo. Assim, o papel que a UE pode desempenhar é bastante claro e baseia-se no que está escrito no acordo e na Resolução 2231 da ONU".

O diplomata desmentiu as declarações do ministro iraniano dos serviços secretos, segundo o qual o Irão poderá adquirir armas nucleares se as sanções não forem levantadas.

"As armas nucleares não têm qualquer lugar na nossa doutrina defensiva. A fatwa do nosso Líder Supremo mostrou claramente que o Irão não tem qualquer interesse em possuir armas nucleares. Na verdade, as armas nucleares são proibidas com base na fatwah do Líder Supremo. Por conseguinte, não temos qualquer interesse em adquirir armas nucleares e não houve qualquer mudança na nossa política em direção às armas nucleares", disse.

O acordo foi assinado em 2015 e começou a ser implementado, mas nos 4 anos da administração Trump a tensão entre Washington e Teerão exacerbou-se. O tratado está à beira do colapso mas pode ser reativado se a administração Biden e a liderança iraniana se comprometerem de novo.