EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ancorados ao largo de Chipre por causa da pandemia

Ancorados ao largo de Chipre por causa da pandemia
Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Navios de cruzeiro de luxo aguardam "Dia D" para retomarem operações

PUBLICIDADE

À espera do "Dia D" para zarpar, vários navios de cruzeiro de luxo aguardam ao largo de Chipre pela passagem de uma tempestade chamada Covid-19.

Estão bloqueados há cerca de nove meses e não se sabe quando é que a pandemia os deixará partir. Equipas rotativas asseguram a manutenção essencial das embarcações.

A imobilização forçada, parece, ainda assim, vir a calhar para a ilha que teve quebras avultadas no turismo.

O executivo cipriota estará, alegadamente, a ganhar 120 mil euros por mês em taxas por ser um porto de abrigo para seis embarcações.

"Eles proporcionaram ao mercado de Chipre muitos benefícios económicos, pois estamos oferecer-lhes os serviços de handling, mudança de tripulação, abastecimento e todos os serviços relacionados que os barcos precisam para estarem em stand by até a indústria arrancar de novo, o que deverá acontecer no verão de 2021", sublinhou Panayiotis Agathocleous, chefe do porto de Limassol.

O turismo representa 15% do Produto Interno Bruto da ilha de Chipre.

Em 2019, quando nada fazia prever o que estava para vir, permitiu gerar uma receita de mais de 2,6 mil milhões de euros. Mas o novo coronavírus também chegou à ilha, que está agora no segundo confinamento. Há registo de mais de duas centenas de mortes e de mais de 30 mil casos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Requerentes de asilo: a República de Chipre numa encruzilhada

Cipriotas deram as mãos e asseguraram novo título do Guinness

Presidente do Chipre quer que corredor naval humanitário de Gaza "seja um modelo"