Última hora
This content is not available in your region

OMS confirma gravidade da variante inglesa da Covid-19

euronews_icons_loading
OMS confirma gravidade da variante inglesa da Covid-19
Direitos de autor  Christophe Ena/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A certeza vem agora da Organização Mundial de Saúde (OMS): A variante britânica do coronavírus causador da Covid-19 é mais perigosa e mais contagiosa que a estirpe regular. Catherine Smallwood, responsável pelo departamento de emergências da OMS, diz que a variante circula em cerca de metade dos países europeus e os números estão a aumentar.

França

França é um dos países onde esta variante se está mais a espalhar, o que levou o governo a reforçar as medidas. Vinte dos 101 departamentos franceses foram agora colocados em vigilância reforçada. A partir da semana de 6 de março, podem vir a ser decretados novos confinamentos locais. O município de Paris propôs confinar a cidade durante três semanas.

"A explicação mais óbvia para o aumento no número de casos é o aparecimento das variantes, cuja progressão medimos todos os dias. A mais espalhada pelo país é a chamada variante inglesa, que afeta cerca de metade das pessoas infetadas com Covid-19 em França", explicou o primeiro-ministro Jean Castex na conferência de imprensa.

Reino Unido

No Reino Unido, o nível de alerta deve baixar, com o risco de entupimento dos serviços de saúde também a descer. As autoridades de saúde recomendam que o alerta desça de nível 5 para nível 4, já que o número de hospitalizações tem vindo a baixar gradualmente.

Chipre

Alguns países vão mais longe e começam a desconfinar. É o caso de Chipre, onde segunda-feira reabrem as escolas secundárias, ginásios, piscinas, escolas de dança e galerias de arte. No entanto, na Europa como no resto do mundo, a ameaça continua bem presente. A Covid-19 já matou dois milhões e meio de pessoas a nível mundial.