Última hora
This content is not available in your region

Comemorações do Dia Internacional da Mulher antecipadas

euronews_icons_loading
Comemorações do Dia Internacional da Mulher antecipadas
Direitos de autor  Musa Sadulayev/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

"Quando as mulheres param, tudo para!" - A frase ecoou este domingo nas ruas das principais cidades francesas. Em Paris, Lyon, Marselha ou Toulouse foram antecipadas por algumas horas as comemorações do Dia Internacional da Mulher.

Milhares de manifestantes na rua, apesar da pandemia. O Coletivo francês pelos Direitos das Mulheres sugere uma paralisação geral esta segunda-feira. Defendem que é preciso "continuar a combater a violência contra as mulheres, mas também lutar por mais direitos". Uma ideia que consideram é universal: seja na Europa ou na América do Sul "os direitos das mulheres nunca são um dado adquirido".

No plano político internacional a mensagem é para que haja mais ação concreta por parte dos decisores para a redução das desigualdades.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apela aos países, empresas e instituições para "adoptarem medidas e quotas especiais para promover a igualdade de participação das mulheres e alcançar mudanças rápidas".

Em declarações à Euronews, Raquel Laguna, Diretora para as questões de género do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) diz que se pede, por exemplo, que "os governos criem um rendimento básico temporário para as mulheres" em risco. Numa altura em que se regista um aumento da violência doméstica, Laguna considera que só quem tiver "acesso a alguns rendimentos básicos pode escapar".