Depois do terrorismo, a fome em Cabo Delgado

Cabo Delgado
Cabo Delgado Direitos de autor euronews
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Situação humanitária no norte de Moçambique agrava-se

PUBLICIDADE

A crise humanitária na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, é cada vez mais grave. De acordo com a "Fundação Ajuda à Igreja que Sofre", aumentam os casos de cólera e malária entre os mais de 600 mil deslocados que fogem dos ataques armados que se fazem sentir na região.

Os campos foram abandonados e a seca dificulta ainda mais a situação. Henriques Laba, secretário da aldeia de Mute, não tem dúvidas. A situação mais grave, de momento, é a fome, uma vez que não recebem qualquer tipo de apoio.

A principal estrada da região está cortada por motivos de segurança e a ajuda humanitária não tem forma de chegar a vários pontos da província.

O Gabinete das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários estima que haja cerca de 950 mil pessoas "a enfrentar fome severa" no norte de Moçambique, um quarto das quais são crianças.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Número de deslocados aumenta em Cabo Delgado

Cerca de 5 milhões em situação de insegurança alimentar no Haiti devido a violência

Programa Alimentar Mundial alerta para a fome iminente no norte de Gaza