Última hora
This content is not available in your region

Filmes europeus de animação na corrida aos Óscares

euronews_icons_loading
Filmes europeus de animação na corrida aos Óscares
Direitos de autor  Danny Moloshok/2019 Invision
Tamanho do texto Aa Aa

Os filmes europeus de animação estão bem representados nas nomeações aos Óscares, ao conseguirem dois lugares entre os cinco nomeados à categoria principal, a de melhor longa-metragem de animação. Um deles é Wolfwalkers, uma co-produção da Irlanda e do Luxemburgo.

"O filme é uma celebração da animação desenhada à mão. Agora temos uma linda coleção de papéis com os cenários pintados à mão e todas as personagens. Estou muito contente e toda a equipa está muito orgulhosa... podemos festejar o facto de o nosso trabalho ter sido reconhecido como uma bela obra de arte", diz Ross Stewart, correalizador do filme.

Wolfwalkers é o terceiro filme da trilogia sobre as lendas irlandesas, começada com The Secret of Kells, em 2009, e Song of the Sea, em 2014, ambos nomeados para o Óscar.

Tomm Moore, produtor da saga e correalizador deste filme, explica: "Talvez a maior mudança seja vermos pelo ponto de vista dos lobos. The Secret of Kells e Song of the Sea eram como livros de imagens, tudo era muito plano. Aqui, estamos nos olhos dos lobos e dos Wolfwalkers, movemo-nos pela floresta como lobos, a três dimensões, não o tínhamos feito nos filmes anteriores. Foi uma grande evolução"

Do Reino Unido, mais propriamente dos estúdios Aardman para os óscares, chega também o segundo filme das aventuras da Ovelha Choné, A quinta contra-ataca, Farmageddon no original.

O primeiro volume tinha já sido nomeado em 2016 e estes estúdios, especialistas do stop-motion, ganharam o Óscar em 2006 com Wallace e Gromit: A maldição do Coelhomem.

A concorrência, este ano, é de peso, com dois filmes da Pixar/Disney, Onward e Soul, e ainda Over The Moon, da Netflix. Os vencedores das estatuetas douradas são conhecidos no dia 25 de abril.