Última hora
This content is not available in your region

Funeral do Príncipe Filipe será cerimónia discreta

De  Ricardo Figueira
euronews_icons_loading
Funeral do Príncipe Filipe será cerimónia discreta
Direitos de autor  Frank Augstein/AP
Tamanho do texto Aa Aa

As salvas de 41 tiros ecoaram por todo o Reino Unido e também no mar, por parte da marinha, onde serviu, em homenagem ao Príncipe Filipe, Duque de Edimburgo, marido da Rainha Isabel Segunda de Inglaterra, morto na sexta-feira aos 99 anos.

O Príncipe Carlos, herdeiro do trono, apareceu em público para uma pequena declaração à imprensa: "Queria dizer que o meu pai, ao longo dos últimos mais de 70 anos, deu um apoio empenhado e formidável à Rainha, à família, ao país e a toda a Commonwealth. Como imaginam, eu e a minha família sentimos muito a falta dele", disse.

Ao longo dos últimos mais de 70 anos, deu um apoio empenhado e formidável à Rainha, à família, ao país e a toda a Commonwealth.
Príncipe Carlos
Herdeiro do trono britânico

O funeral vai decorrer no sábado, dia 17 de abril, numa cerimónia discreta no Castelo de Windsor, limitada à família, devido às restrições sanitárias impostas pela pandemia e também por vontade do Príncipe Filipe.

O Príncipe Harry, filho de Carlos, que abdicou das funções reais e vive nos Estados Unidos, vai estar presente, ao contrário da mulher, Meghan Markle, que não faz a viagem por estar grávida. Também o primeiro-ministro Boris Johnson vai estar ausente das cerimónias, já que as restrições ligadas à Covid limitam a presença a 30 pessoas. Boris Johnson diz que prefere não tirar o lugar a algum familiar que queira estar presente.