Última hora
This content is not available in your region

Escolas secundárias reabrem na Grécia

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Escolas secundárias reabrem na Grécia
Direitos de autor  @euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Os alunos do ensino secundário voltaram há escola, na Grécia, depois de cinco meses com aulas à distância. Alunos, professores e funcionários têm de apresentar dois testes rápidos negativos à Covid-19 por semana. Cada resultado é inserido numa plataforma em linha, que é consultada sempre que entram no recinto escolar.

Os alunos estão contentes por estarem de volta, mas também receosos.

"Com certeza aprendemos algumas coisas, mas não tanto quanto poderíamos ter aprendido na escola", diz uma aluna.

Já outro aluno diz que "é uma hipocrisia abrir agora as escolas com 5.000 casos de Covid enquanto foram encerradas com apenas 500. A única medida diferente é o teste rápido que fazemos em casa, e mesmo isto não sabemos se os fazemos corretamente porque não somos especialistas. Queremos que as escolas abram, mas também queremos estar seguros. Não queremos que as escolas sejam fechadas para podermos estar seguros. Queremos medidas adequadas para podermos ir à escola sem arriscar a nossa saúde".

Desde que entrou em funcionamento a plataforma detetou mais de 600 testes positivos. Os professores dizem que estão prontos para implementar os protocolos necessários.

"Estamos prontos para abrir a escola. As turmas não têm tantos alunos. Tentaremos, com todos os recursos que temos, acolher os alunos e ter um funcionamento escolar normal", refere o professor e diretor de uma escola secundária, Lambros Yorgas.

Alguns meses antes dos exames nacionais na Grécia, que dão acesso às Universidades, os estudantes do ensino secundário, dos 16 aos 18 anos, regressam às aulas. Têm de apresentar, todas as semanas, dois testes negativos de modo a poderem entrar nas salas de aula. No entanto, os pais estão preocupados que devido à pandemia, que está na terceira vaga na Grécia, possa ser perigoso para os seus filhos.

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, anunciou que serão oferecidos testes rápidos às pessoas que trabalham em lojas, transportes e serviços alimentares. Os alunos terão acesso, gratuitamente, a um teste rápido por semana.