Última hora
This content is not available in your region

Momento mágico do FC Porto soube a pouco na Liga dos Campeões

De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Golo do FC Porto nos quartos de final da Liga dos Campeões
Golo do FC Porto nos quartos de final da Liga dos Campeões   -   Direitos de autor  AP Photo/Angel Fernandez
Tamanho do texto Aa Aa

Bayern e FC porto até vingaram as derrotas da primeira mão, mas não com os golos suficientes para se sobreporem a Paris Saint-Germain e Chelsea nos quartos de final da Liga dos Campeões.

Uma vez mais a jogar em Sevilha, devido às restrições da Covid-19 entre Portugal e o Reino Unido, mas agora na condição de visitante, o FC Porto até conseguiu pressionar os ingleses, mas a equipa do alemão Thomas Tuchel tinha a lição bem estudada.

O Chelsea soube segurar a vantagem de dois golos da primeira mão e chegou aos 90 minutos com o apuramento garantido. O melhor que os "dragões" conseguiram foi marcar aquele que será certamente um dos golos do ano.

O pontapé de bicicleta de Mehdi Taremi fez lembrar o do Cristiano Ronaldo marcado pelo Real Madrid contra a Juventus, terá sido muito celebrado no Irão, mas revelou-se insuficiente. O Chelsea segue em frente.

Em Paris, o campeão europeu Bayern ainda marcou na primeira parte, golo de Eric Choupo-Moting, à beira do intervalo, numa jogada de insistência, mas o PSG, com o português Danilo no centro da defesa, segurou bem a vantagem dos golos marcados fora e acabou por celebrar o regresso às meias-finais da prova.

De certa-foram, os franceses também acabaram por se vingar da derrota (0-1) sofrida diante do Bayern, em agosto do ano passado, na final da Liga dos Campeões, realizada no Estádio da Luz, em Lisboa.também a derrota de agosto passado na final de Lisboa.

Ingleses e franceses ficam agora à espera de saber que adversário terão pela frente nas meias-finais.

O Chelsea vai defrontar o vencedor do duelo entre o Liverpool, de Diogo Jota, e o Real Madrid, em Anfield. Triunfo espanhol (3-1) na primeira mão.

O PSG vai jogar com o vencedor do duelo em Dortmund entre o Borussia, de Raphael Guerreiro, e o Manchester City, de Bernardo Silva, Rúben Dias e João Cancelo. Vitória inglesa (2-1) no primeiro jogo.