Última hora
This content is not available in your region

Petrolífera Total suspende projeto de gás em Moçambique

euronews_icons_loading
Total
Total   -   Direitos de autor  MARTIN BUREAU/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

A petrolífera Total suspendeu indefinidamente a atividade em Moçambique, invocando motivos de "força maior" para parar o projeto de gás em Afungi.

Avaliado em 20 mil milhões de euros, o projeto representa o maior investimento privado em curso no continente africano.

Em comunicado, a empresa alega que a retirada dos trabalhadores das instalações se deve ao agravamento da instabilidade e falta de segurança no norte da província de Cabo Delgado.

“A Total expressa a sua solidariedade para com o governo e povo de Moçambique e deseja que as ações desenvolvidas permitam o restabelecimento da segurança e estabilidade na província de Cabo Delgado de forma sustentada”, conclui.

No país desde 1991, esta é a primeira vez que a petrolífera recorre ao conceito de "força maior" para justificar ao incumprimento de obrigações.

Até agora, o início da produção estava previsto para 2024. No projeto residia para muitos a esperança de ver Moçambique crescer economicamente na próxima década.