Última hora
This content is not available in your region

Ameaças à democracia preocupam o G7

De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Ameaças à democracia preocupam o G7
Direitos de autor  Stefan Rousseau/AP
Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez em mais de dois anos a diplomacia dos países do G7 juntou-se para discutir as questões que dominam a agenda internacional. O encontro teve lugar em Londres, com o objetivo de preparar terreno para a cimeira do próximo mês em Carbis Bay, no sudoeste do Reino Unido.

Na ordem do dia estiveram as crescentes ameaças à democracia ocidental e o anfitrião, Dominic Raab, não hesitou em apontar o dedo a China e Rússia. O chefe da diplomacia do reino unido sublinhou que é preciso "sermos claros em situações como a proteção dos interesses económicos, a defesa do direito internacional, o respeito pela as convenção das Nações Unidas ou a proteção dos direitos humanos" acrescentando que "a China precisa de estar à altura das responsabilidades de um líder internacional".

A cimeira de 11 a 13 de junho será um teste de fogo para a diplomacia britânica após a saída da União Europeia. Além do grupo dos sete, estarão presentes quatro convidados, África do Sul, Austrália, Coreia do Sul e Índia.