Eleições locais são teste de fogo para Boris Johnson

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
Eleições locais são teste de fogo para Boris Johnson
Direitos de autor  Matt Dunham/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved

Nicola Sturgeon joga uma cartada decisiva para a independência da Escócia nas eleições locais desta quinta-feira no Reino Unido. Uma vitória clara do partido da primeira-ministra escocesa fará renascer a discussão em torno de um referendo para terminar três séculos de ligação a Londres. Um sonho chumbado na consulta popular de 2014, em boa parte devido ao receio de serem obrigados a sair da União Europeia, mas desde então o cenário político mudou radicalmente e o referendo volta a estar na agenda política dos nacionalistas.

Na capital do Reino, ao invés, não se preveem revoluções e Sadiq Khan é o favorito à reeleição. De acordo com as sondagens, a única dúvida é saber se será reeleito com ou sem maioria absoluta. A corrida eleitoral marca a ascensão de uma nova classe de políticos e à semelhança do autarca londrino, também o seu principal adversário, Shaun Bailey, cresceu num bairro social da capital inglesa.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, exerceu o direito de voto no bairro de Westminster. Apesar de não estar diretamente envolvido, o chefe de governo não deixa de ser parte interessada no escrutínio. Estas eleições locais acabam por servir como um barómetro à atuação do governo nos temas decisivos dos últimos anos.

Esta é a primeira oportunidade para os eleitores britânicos se manifestarem nas urnas desde as eleições gerais de 2019, uma vitória categórica para os Conservadores de Boris Johnson. Agora é a sua gestão do Brexit e da pandemia que está em causa. Há várias questões locais a marcar as eleições mas os partidos nacionalistas mantêm-se na expectativa. Um mau resultado para os dois grandes partidos, Conservadores e Trabalhistas, pode colocar em causa a sua liderança.