Última hora
This content is not available in your region

Sérvios serão pagos para receber vacina

euronews_icons_loading
Sérvios serão pagos para receber vacina
Direitos de autor  euronews Serbia
Tamanho do texto Aa Aa

A Sérvia está a oferecer incentivos monetários para tentar atrair a população e relançar a ambiciosa campanha de vacinação que, em dezembro passado, fez do país um dos pioneiros dos Balcãs no que diz respeito à imunização contra a Covid-19.

O governo prometeu 25 euros para cada sérvio maior de 16 anos que receba a vacina até ao fim de maio mas, para já, não se notou um forte aumento na afluência.

Voz crítica do presidente sérvio e até recentemente conhecida pela postura antivacinal, a cantora Jelena Karleusa acabou por decidir receber a primeira dose na semana passada, mas nem as imagens do acontecimento partilhadas nas redes sociais parecem ter trazido mais pessoas aos centros de vacinação.

Natasa Stanisavljevic, Serviços Sociais de Belgrado: "Temos de levar as doses às pessoas. O mais importante é que a vacina esteja disponível para imunizar a população o mais rápidamente possível, para se obter o quanto antes a imunidade de grupo. [...] Apoio todas as medidas afirmativas e a mensagem do presidente Aleksandar Vuvic. São medidas excelentes para acelerar o processo de vacinação na Sérvia."

Stefan Goranovic, euronews Belgrado:"No início da campanha de vacinação, a Sérvia era líder mundial em termos do número de pessoas imunizadas e os cidadãos podiam escolher entre vacinas do Ocidente e do Oriente. Mas, nas últimas semanas, o país tem registado números relativamente altos de infeções e enfrenta um paradoxo: uma abundância de vacinas, mas falta de pessoas interessadas em recebê-las. [...] A questão é se esta nova iniciativa irá traduzir-se numa melhoria da situação."

Entre analistas e peritos, não faltam vozes críticas a respeito da política de incentivos monetários.

Slobodan Cvejic, sociólogo da Universidade de Belgrado:"Não acho que o incentivo de 25 euros seja crucial. Dá uma má imagem porque, entre outras coisas, veicula a ideia de que 25 euros é uma quantia significativa para algumas pessoas aqui. É mais uma medida que envia às pessoas a mensagem de que podem ser pagas pelas preocupações sociais. Ser vacinado deveria ser simplesmente um ato de responsabilidade."

Na Sérvia não faltam doses, já que o país recorre tanto às vacinas ocidentais, como as da Pfizer BioNTech e da AstraZeneca, como à russa Sputnik V e à chinesa da Sinopharm.

Se o governo cumprir a promessa do chefe de Estado e começar, como previsto, a pagar em junho aqueles que se vacinaram em maio, será o primeiro país do mundo a oficializar um esquema de pagamento aos vacinados.