Brasil celebra "dia da abolição" com manifestações antirracistas

Manifestação no Brasil
Manifestação no Brasil Direitos de autor Eraldo Peres/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ira da população diz também respeito à resposta do governo face à pandemia de Covid-19.

PUBLICIDADE

No Brasil, o dia 13 de maio, em que se celebra a abolição da escravatura, foi o pretexto para manifestações contra o racismo e contra a violência da polícia, com a chacina na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, ainda bem presente.

No Rio e em São Paulo, as duas maiores cidades do país, as marchas juntaram centenas de pessoas pedindo justiça e retomando as palavras de ordem do movimento iniciado nos Estados Unidos "Black Lives Matter" (vidas negras importam). Para muitos, mesmo se a escravatura foi abolida em 1888 com a Lei Áurea, continua a haver muito por fazer, como diz Monique Cunha, uma das participantes na manifestação no Rio: "Não podemos falar em dia da abolição, porque continuamos a ser assassinados".

Gestão da pandemia debaixo de fogo

O governo de Jair Bolsonaro está a ser atacado não só por este tema como também pela resposta, considerada pouco eficaz, à pandemia de Covid-19.

O diretor-geral da Pfizer para a América Latina esteve na Comissão Parlamentar de Inquérito e confirmou que a farmacêutica norte-americana fez várias propostas ao governo brasileiro para o fornecimento de vacinas, propostas essas ignoradas pelo governo, que só retomou o contacto com a empresa vários meses depois. A Covid-19 já matou no Brasil mais de 430 mil pessoas.

Editor de vídeo • Ricardo Figueira

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Bloco da latinha": este desfile de Carnaval ouve-se muito antes de se ver

Escolas de samba já desfilam no Brasil

Desastre ambiental no sul do Brasil