Última hora
This content is not available in your region

Biden e Guterres saúdam cessar-fogo em Gaza

euronews_icons_loading
Biden e Guterres saúdam cessar-fogo em Gaza
Direitos de autor  Adel Hana/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Chegou ao fim o mais recente episódio de violência no Médio Oriente, com a entrada de vigor do cessar-fogo entre Israel e o Hamas, pondo fim a 11 dias de bombardeamentos intensos na Faixa de Gaza que fizeram mais de 200 mortos e aos lançamentos de rockets por parte do Hamas em direção do território israelita. Mas parece ainda longe a resolução do conflito que dura há várias gerações e que parece eternizar-se entre israelitas e palestinianos.

Ambos os lados clamam vitória. O presidente norte-americano Joe Biden diz que esta é uma oportunidade para a paz: "Acredito que tanto os palestinianos como os israelitas merecem viver em segurança e beneficiar de medidas iguais de liberdade, prosperidade e democracia. A minha administração vai continuar o esforço diplomático, sereno mas determinado, com vista a esse fim. Acredito que temos uma verdadeira oportunidade de fazer progressos e estou comprometido em trabalhar nisso", disse o inquilino da Casa Branca.

A minha administração vai continuar o esforço diplomático, sereno mas determinado, com vista à paz.
Joe Biden
Presidente dos EUA

António Guterres, secretário-geral da ONU, saúda o papel do Egito e do Catar na mediação: "Saúdo o cessar-fogo entre Gaza e Israel ao fim de 11 dias de hostilidades mortíferas. Estendo as minhas condolências às vítimas da violência e seus entes queridos. Agradeço ao Egito e ao Catar os esforços levados a cabo, em coordenação com a ONU, para restaurar a calma em Gaza e Israel, e peço a todos os lados que respeitem este cessar-fogo", disse.

Os sinais de que se trata de uma paz frágil continuam a aparecer. Esta quinta-feira em Belém, na Cisjordânia, as forças de segurança israelitas envolveram-se em confrontos com palestinianos que participavam numa manifestação de solidariedade para com a Faixa de Gaza.

Este mais recente conflito começou com a decisão judicial de expulsar famílias árabes das casas que detêm no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental.