Última hora
This content is not available in your region

Europa acelera vacinação e turistas britânicos regressam a casa

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Europa acelera vacinação e turistas britânicos regressam a casa
Direitos de autor  Francisco Ubilla/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Em Espanha, o setor turístico está otimista sobre o regresso dos negócios à normalidade. A partir desta segunda-feira, os visitantes que tenham sido vacinados contra a Covid-19 poderão entrar no país, independentemente do sítio do mundo de onde estejam a viajar. Os que vêm de fora da União Europeia, terão de ter sido vacinados 14 dias antes da chegada, e de ter recebido ambas as doses de uma vacina aprovada na UE.

São boas notícias que de nada servem aos turistas britânicos. O Reino Unido mantém todos os países da União Europeia, na sua lista âmbar das viagens, o que significa uma quarentena de dez dias no regresso, a partir desta terça-feira. No aeroporto de Faro tem reinado a confusão e o desapontamento dos milhares de britânicos que tiveram de precipitar o regresso.

Bom, nós acabámos de chegar a já temos de partir, por isso não tivemos férias", diz Christy Rossi, uma turista no Algarve.

Simon Pendlebury, que também precipitou o regresso afirma: "Estou zangado por ter perdido metade das nossas férias e vai custar-nos muito mais dinheiro ir para casa, só para evitar a quarentena, porque somos ambos trabalhadores por conta própria e, se ficarmos mais 10 dias em casa, não ganhamos dinheiro nenhum. "

Entretanto, no Reino Unido, o governo está a apressar a inclusão dos menores de 30 anos no programa de vacinação. Os cientistas dizem que a variante Delta - registada na Índia - é cerca de 40% mais transmissível e a subida de 49% nas infeções na última semana está a pôr em dúvida o calendário do governo para o fim das restrições.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, admite as dificuldades: "Em última análise, torna o cálculo mais difícil para o dia 21 de junho, mas não altera a nossa estratégia, que é a de que todos nós precisamos de ser vacinados. E assim quebraremos esta relação entre o número de casos e o número de hospitalizações".

A Itália também está a acelerar a campanha de vacinação. Pela primeira vez, os jovens entre os 12 e 16 anos têm a oportunidade de ser vacinados depois de a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) ter autorizado a vacina Pfizer para adolescentes.

À chegada ao posto de vacinação, um jovem afirma: "Tenho medo de agulhas, por isso estou um pouco ansioso, mas é bonito, porque depois estamos livres".

Em toda a Itália já não existem regiões vermelhas nem laranja; apenas amarelas e brancas, ou seja: áreas de risco moderado ou baixo.