EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Clube dos milionários aumenta durante a pandemia

Clube dos milionários aumenta durante a pandemia
Direitos de autor أل أم/أ ب
Direitos de autor أل أم/أ ب
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Há mais cinco milhões de fortunas acima do milhão de dólares no planeta, incluindo 19 mil em Portugal. O Brasil esteve em contraciclo e perdeu 108 mil milionários

PUBLICIDADE

O "clube" dos milionárioscresceu em todo mundo durante o ano da pandemia, sugere a nova edição do "Global Wealth Report" (tr.: "Relatórios Global das Fortunas") agora divulgado pelo banco "Credit Suisse".

Só em Portugal, no final de dezembro, havia mais de 136 mil pessoas com fortunasavaliadas acima do milhão de dólares, cerca de 840 mil euros. Eram mais 19 mil milionários do que em 2019.

Já o Brasil, o terceiro mais afetado pela Covid-19 no planeta, sofreu uma queda de 108 mil, fechando 2020 com menos 34% de milionários do que tinha em 2019.

Em termos globais, o ano da pandemia fechou com mais cinco milhões de milionários por todo o mundo. Pela primeira vez, este "clube" exclusivo representa mais de um por cento da população mundial.

A segunda metade do ano manteve ainda a tendência de crescimento no preço das casas, ancorado na estimativa do relatório do banco suíço de que também a riqueza das famílias cresceu de uma forma geral 24 biliões de euros, isto é, mais 7,4 % do que no ano anterior à pandemia.

Foi uma progressão em linha com a recuperação dos mercados registada na segunda metade de 2020, apoiada pelas medidas governativas de mitigação da pandemia nas economias, por uma maior poupança das famílias e pela desvalorização da moeda.

No entanto, a distância entre topo da tabela dos mais ricos e o os mais pobres no fundo aumentou porque uma boa parte dos menos abastados ficou sem trabalho nem rendimentos no ano passado.

Os impactos mais negativos da pandemia acabaram por ser sentidos sobretudo na América Latina e na Índia, mas há mais pessoas em dificuldade por todo o mundo devido à Covid-19.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pobreza afeta 18 milhões de crianças na UE

Oxfam: "Os mais ricos do planeta já recuperaram da crise"

Ativistas russos lançaram ataque cibernético ao setor bancário da Chéquia