EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Milhares protestam nas ruas contra poder político

Milhares protestam nas ruas contra poder político
Direitos de autor FETHI BELAID/AFP or licensors
Direitos de autor FETHI BELAID/AFP or licensors
De  euronews com lusa, EFE
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente tunisino despediu primeiro-ministro e suspendeu parlamento

PUBLICIDADE

Milhares de tunisinos protestam contra os seus líderes, especialmente os do principal partido parlamentar Ennahdha, enquanto o país lida com um novo pico da pandemia de covid-19 e assiste a lutas pelo poder.

Em Tunes, apesar das inúmeras barreiras policiais na entrada da capital e no centro da cidade, várias centenas de pessoas, incluindo muitos jovens, protestaram em frente ao parlamento, enquanto gritam ‘slogans’ hostis à formação política de inspiração islâmica Ennahdha e ao primeiro-ministro por ela apoiado, Hichem Mechichi.

Vários manifestantes foram detidos e um jornalista ficou ferido quando os manifestantes e a polícia começaram a lançar entre si pedras e gás lacrimogéneo, antes de as autoridades de segurança terem dispersado a manifestação.

Em Tozeur - uma região do sul particularmente afetada pela pandemia, com medidas de confinamento até 08 de agosto - jovens manifestantes vandalizaram a sede local do Ennahdha, de acordo com vídeos divulgados pelos ‘media’.

Apesar de uma forte mobilização policial, os manifestantes também marcharam em Gafsa (centro), Monastir e Sousse (leste).

A população tem dado sinais de estar cansada de assistir a lutas de poder entre os partidos com assento parlamentar e ao impasse entre o líder do parlamento, Rached Ghannouchi, também líder do Ennahdha, e o Presidente, Kaïs Saïed, que paralisa as decisões políticas.

Sondagens indicam também que a população está insatisfeita com a resposta governamental à pandemia de covid-19, que já provocou quase 18.000 mortes no país de 12 milhões de habitantes, sendo o país com uma das piores taxas de letalidade do mundo.

Os apelos para manifestação de hoje, dia da comemoração da República, circulavam há vários dias nas redes sociais, exigindo uma mudança da Constituição.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA e ONU pedem calma aos tunisinos, governo e oposição

Confrontos em Tunes

Presidente da Tunísia quer nova abordagem para as migrações