Última hora
This content is not available in your region

EUA e ONU pedem calma aos tunisinos, governo e oposição

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
EUA e ONU pedem calma aos tunisinos, governo e oposição
Direitos de autor  Hedi Azouz/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Os EUA e a ONU pediram diálogo e calma ao governo e à oposição da Tunísia, depois do país ter entrado num novo conflito político e social.

O presidente do país Kais Saied pediu a suspensão do parlamento, demitiu o primeiro-ministro Hichem Mechichi e pediu a exoneração dos ministros interinos da Defesa e Justiça, Ibrahim Bartaji e Hasna Ben Slimane. Um conjunto de decisões que reforçaram as manifestações que já estavam a acontecer por causa da pandemia.

Este domingo, as tropas cercaram o parlamento da Tunísia e bloquearam a entrada do chefe de Estado.

A Organização das Nações Unidas pediu calma. "Pedimos a todos os interessados para se conterem e evitarem a violência e garantirem que a situação permaneça calma.", disse em conferência de imprensa Farhan Haq, porta-voz adjunto do Secretário-Geral da ONU. "Todos os atritos devem ser resolvidos através do diálogo.", concluiu.

Os EUA também expressaram preocupação com a demissão do governo pelo presidente tunisino e pediram à nação do norte da África - onde nasceu a Primavera Árabe - que permaneça calma.

"Estamos em contacto (...) com os líderes tunisinos para perceber a situação. Pedimos calma e vamos apoiar os esforços dos tunisinos para avançar de acordo com princípios democráticos.", admitiu Jen Psaki, secretária de imprensa da Casa Branca.

A Tunísia tem lutado por uma estabilidade política e económica nos últimos 10 anos. A gestão da pandemia levou ao surgimento destes protestos, numa altura em que os números de novas infeções voltaram a disparar. A reação do governo às manifestações aqueceram o ambiente nas ruas.