UE mantém ajuda à Tunísia e apela à estabilidade institucional

UE mantém ajuda à Tunísia e apela à estabilidade institucional
Direitos de autor Hedi Azouz/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A UE vai manter os apoios à Tunísia, apesar da situação política, mas apela ao retorno da estabilidade institucional no país

PUBLICIDADE

A situação na Tunísia preocupa a União Europeia UE), os Estado Unidos, as Nações Unidas e os países da região. O respeito da constituição é fortemente questionado depois de o presidente ter demitido o primeiro-ministro e suspendido os trabalhos do parlamento até 27 de agosto.

O mundo está de olhos postos naquele país do Magrebe. Em comunicado, o chefe da diplomacia da UE, Josep Borell, apela, em nome dos 27, ao "restabelecimento da estabilidade institucional o mais rapidamente possível, e em particular ao reinício da atividade parlamentar, ao respeito dos direitos fundamentais e à prevenção de todas as formas de violência".

Apesar da situação, a União vai manter o apoio financeiro ao país. A porta-voz da comissão, Ana Pisonero, diz: "Entre as prioridades da parceria UE-Tunísia estão obviamente a promoção da boa governação e do Estado de direito e naturalmente também o investimento e o estímulo ao crescimento económico e à criação de emprego, em particular para os jovens".

Duramente atingida pela pandemia, a Tunísia recebeu apoio financeiro e recursos médicos de Bruxelas, no âmbito da estratégia política de vizinhança da União e há uma promessa de mais 1,6 mil milhões de euros.

Bruxelas quer ajudar a manter a história de sucesso da Primavera Árabe de há dez anos, mas há quem veja nos acontecimentos políticos do último fim de semana um corte com a democracia no país.

O respeito da constituição é fortemente questionado depois de o presidente ter demitido o primeiro-ministro e suspendido os trabalhos do parlamento até 27 de agosto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Crise política agrava situação económica na Tunísia

Partidos tunisinos falam em golpe de Estado

União Europeia condena golpe militar no Níger e suspende cooperação com país