Última hora
This content is not available in your region

Crise política agrava situação económica na Tunísia

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Crise política agrava situação económica na Tunísia
Direitos de autor  Hedi Azouz/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A instabilidade política na Tunísia está a agravar a crise económica que o país atravessa.

Nos mercados da capital, Túnis, predominam as bancas vazias e entre a população aumenta o descontentamento com a classe política.

Mahran Mezlini é um vendedor de legumes num mercado do bairro de Bab al-Fella, na capital. Eis o seu comentário.

"Este mercado é para os pobres, hoje não é possível comprar um quilo de fruta. O quilo de pêssegos custa 2,5 dinares, o quilo de figos custa quatro dinares. Já ninguém consegue comprar. As pessoas olham para a fruta mas não compram. O mesmo acontece com a carne. As pessoas olham mas não compram", afirma este vendedor de rua.

Depois da destituição do primeiro-ministro da Tunísia e da suspensão do parlamento por um período de 30 dias, aumentam os receios de que o país possa estar a regressar a uma ditadura.

Receios que o presidente Kais Saied se apressou a afastar durante encontros realizados esta semana com representantes de Argélia e Marrocos.

A Tunísia é considerada como a única história de sucesso da primavera árabe em 2011.

No entanto, a economia permanece o ponto fraco. Mesmo antes da pandemia, a taxa de desemprego atingia os 18% no país, com particular incidência entre os jovens.