Última hora
This content is not available in your region

Ascensão e queda do Muro de Berlim

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Ascensão e queda do Muro de Berlim
Direitos de autor  BERND SETTNIK/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

"Ninguém quer construir um muro". Uma mentira que entrou para a história. Uma frase do líder do Partido da Unidade Socialista da Alemanha - Walter Ulbricht. Disse-a dois meses antes de o Muro ter sido erguido em Berlim. A fronteira no interior e a Alemanha só cairia 28 anos mais tarde. Um olhar para a história: a 13 de Agosto de 1961, sob a liderança de Ulbricht, começa a construção secreta do Muro de Berlim. À meia-noite, as ligações ferroviárias para o Ocidente são cortadas em Berlim Oriental, as estradas rasgadas ao meio e são colocadas toneladas de arame farpado.

À medida que milhares e milhares de pessoas fogem, a RDA está à beira da falência no início dos anos 60, de acordo com o Arquivo Federal Alemão. A liderança do partido não tinha outra opção a não ser prender o seu próprio povo. Com famílias separadas durante décadas.

Um muro com 155 quilómetros de comprimento, em Berlim Ocidental. Em toda a Alemanha, existem 1.400 quilómetros. A rua Bernauer Strasse em Berlim é um memorial do muro e considerada um símbolo da divisão alemã.

Quando o Muro de Berlim foi erguido, a frente da rua ficava a leste, o pavimento a oeste. Nos primeiros tempos, as pessoas tentavam saltar para a liberdade. Mas, mais tarde, as janelas foram tapadas e as casas demolidas. A fuga era considerada traição e as autoridades fronteiriças da RDA tinham ordens para disparar contra os fugitivos.

O governo alemão estima que pelo menos 260 pessoas morreram no Muro. A construção começou em 1961 com uma mentira e terminou em 1989 com um juízo errado: pouco antes da queda do Muro, o sucessor de Ulbricht, Erich Honecker, disse que o Muro se manteria pé durante 100 anos. Mas a revolução pacífica de 9 de Novembro de 1989 provou o contrário. Desde 1990, a Alemanha está oficialmente reunificada e a fronteira dentro do país - agora é história.