EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

O caos e a crise no Afeganistão

O caos e a crise no Afeganistão
Direitos de autor Sgt. Samuel Ruiz/AP
Direitos de autor Sgt. Samuel Ruiz/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Organização das Nações Unidas sublinhou este sábado que a pandemia e o deslocamento da população “atingiram duramente as comunidades rurais", num país onde a seca ameaça a subsistência de sete milhões de pessoas

PUBLICIDADE

Apesar de vários países já terem anunciado o fim das operações de transporte no aeroporto de Cabul, os aviões continuam a partir da capital afegã.

Mais de 100 mil pessoas já saíram do Afeganistão, mas ainda há milhares que tentam deixar o país. Os talibãs disseram que vão permitir partidas através de voos comerciais depois da retirada dos Estados Unidos, mas muitos afegãos não acreditam no novo governo e temem que as companhias aéreas não queiram regressar a um aeroporto controlado por um grupo extremista.

Quem fica no Afeganistão tem de lidar com o caos e com a incerteza. A crise económica, que piorou depois da chegada dos talibãs, é cada mais visível nas ruas da capital.

Centenas de afegãos protestaram este sábado na entrada de um Banco de Cabul e muitos dos manifestantes eram funcionários públicos que se queixavam de não receber os salários há pelo menos três meses.

A situação também é alarmante fora das cidades. A Organização das Nações Unidas sublinhou este sábado que a pandemia e o deslocamento da população “atingiram duramente as comunidades rurais, em particular os agricultores e pastores”, num país onde a seca ameaça a subsistência de sete milhões de pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Antiga Jugoslávia lembra vítimas de desaparecimentos forçados

Afegãos no Paquistão não têm esperança de regressar ao país natal

EUA atacam veículo de bombistas em Cabul