Última hora
This content is not available in your region

"Um construtor de pontes e um humanista"

Access to the comments Comentários
De  Euronews com Lusa
euronews_icons_loading
Jorge Sampaio
Jorge Sampaio   -   Direitos de autor  José Sena Goulão/ 2019 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Tamanho do texto Aa Aa

Homem de esquerda e advogado de formação, Jorge Sampaio desempenhou, ao logo da sua vida, os mais altos cargos políticos do país. Foi secretário-geral do PS, presidente da Câmara de Lisboa e Presidente da República entre 1996 e 2006.

Depois da presidência da República, foi enviado especial da ONU para a Luta contra a Tuberculose e foi alto representante desta organização para a Aliança das Civilizações. Atualmente, estava à frente da Plataforma Global para os Estudantes Sírios.

É recordado como uma figura central da democracia portuguesa, uma referência cívica e moral, um construtor de pontes, um homem de causas e um humanista.

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa elogiou o antigo chefe de Estado por ter defendido a "liberdade na igualdade" e por ser a prova que se pode nascer privilegiado e converter a vida na batalha pelos mais necessitados

António Guterres, o secretário-geral das Nações Unidas, disse que Sampaio foi uma figura “central” da democracia de Abril, e um “incomparável homem de Estado” que deixou uma marca “decisiva” na luta pela paz e no diálogo entre civilizações.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, elogiando um “homem de princípios” que teve um “papel crucial” na promoção dos direitos humanos e dignidade dos refugiados.

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, disse que o antigo presidente de Portugal será sempre "uma referência para a social-democracia e para os defensores do Estado de direito”.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, lembrou Jorge Sampaio como “um verdadeiro defensor da liberdade e da igualdade”, e disse que este é “um dia triste para Portugal e para a Europa”.