Última hora
This content is not available in your region

Na Alemanha, bairros e crianças pobres esquecidos pelos políticos

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Na Alemanha, bairros e crianças pobres esquecidos pelos políticos
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

“Tornar as crianças fortes para o resto da vida!" Um slogan que resume o trabalho realizado pela associação alemã A arca em prol das crianças desfavorecidas.

Em Franqueforte, a associação fornece refeições e ajuda as crianças a fazer os trabalhos de casa. Por causa da pandemia, a associação esteve fechada durante meses e muitas crianças perderam o contacto com uma instituição que é para elas uma segunda casa.

“A questão da dependência dos telemóveis é real. Havia um menino que brincava com o telefone 16 horas por dia. Houve muitos problemas causados pela falta de espaço em casa, as crianças não tinham o seu proprio espaço e por isso com os telemóveis eram uma forma de escaparem e se transportarem para outro mundo", disse à euronews Daniel Schröder, responsável da associação.

Associação afirma que bairros pobres são esquecidos pelos políticos

Muitas crianças esqueceram um pouco a língua alemã durante o confinamento. Com a reabertura das escolas, a vida parece ter voltado ao normal, mas para os alunos desfavorecidos, é difícil recuperar o atraso. As escolas precisam de mais financiamento. Para o responsável da associação, as famílias que vivem dificuldades são esquecidas pelos políticos.

"A participação eleitoral nos bairros onde a associação intervém é extremamente baixa. Há muita gente que apoia a AfD o que significa que os políticos sentem que nada podem ganhar aqui. É um aspeto dramático e injusto deste sistema. Em vez de procurar ajudar os bairros onde as pessoas têm mais necessidades, onde as escolas precisam de equipamentos melhores, os políticos olham para onde estão os seus eleitores ”, frisou Daniel Schröder.

Sociedade cada vez mais dividida entre ricos e pobres

Mimunt Halli tem três crianças. Pediu aos serviços sociais para pagarem as explicações do filho mas não obteve resposta. Está na lista de espera há mais de dez anos para ter acesso a um apartamento maior. Enquanto espera recorre à ajuda da associação.

"A associação dá-nos esperança porque os nossos pedidos são aceites ou rejeitados, por isso há esperança, sei que terei uma resposta. Da parte do estado, não obtemos respostas, somos simplesmente rejeitados", afirmou Mimunt Halli.

Segundo os responsáveis da associação, muita gente desconhece as dificuldades que as famílias pobres enfrentam na Alemanha. Para muitas crianças, o almoço na associação é a única verdadeira refeição do dia.

“A nossa tarefa é cuidar dos que ficam para trás, para que a unidade e a paz no nosso país seja mantida. Vemos que o medo e a divisão entre ricos e pobres é cada vez maior", afirmou o responsável da associação.

Schröder lamenta que o tema da pobreza infantil seja raramente abordado e afirma que são necessárias soluções de longo prazo. A associação defende a instauração de um rendimento básico para as crianças pobres, metade seria dado às famílias e a outra metade às escolas.