This content is not available in your region

A desinformação na campanha para as eleições alemãs

Access to the comments Comentários
De  euronews
Euronews mostra-lhe exemplos de desinformação na campanha eleitoral alemã
Euronews mostra-lhe exemplos de desinformação na campanha eleitoral alemã   -   Direitos de autor  Euronews

No mês passado, a Euronews encontrou vários exemplos de afirmações falsas sobre o processo eleitoral na Alemanha. O jornalista da Euronews, Matthew Holroyd, mostra-lhe dois exemplos de alegações falsas.

Nos Estados Unidos, no Reino Unido e agora na Alemanha. Em eleições cruciais, quando há emoções fortes e uma campanha política tensa, é maior o perigo de a desinformação se espalhar na internet e nos meios de comunicação mais populares.

Este tweet foi publicado no início deste mês. Neste vídeo, um homem afirma que pode abrir uma urna alemã usando facas de cozinha comuns. Ele afirma falsamente que isto é evidência de que os votos podem ser manipulados e que a fraude eleitoral é possível. Mas esta alegação foi rejeitada. Numa declaração à Euronews, a Comissão Nacional de Eleições da Alemanha, Der Bundeswahlleiter, disse que este vídeo é "Fake News". Noutra declaração, confirmou que as urnas no país estão protegidas contra acessos indevidos, dizendo que “as urnas não podem ser abertas antecipadamente porque nas secções de voto estarão, continuamente, membros da comissão eleitoral e assistentes eleitorais”.

Portanto, os cidadãos não podem abrir uma urna de voto com facas de cozinha.

Outra alegação falsa que circulou online foi partilhada por este utilizador do Twitter. Esta pessoa sugeriu que é preciso estar completamente vacinada contra a COVID-19 ou ter um certificado Covid para poder entrar na secção eleitoral e votar pessoalmente. Mas esta afirmação também é falsa, tal regra não existe. Noutro comunicado nas redes sociais, da Comissão Eleitoral, fica claro que as pessoas não vacinadas e não testadas podem exercer o direito de voto.

O Comissário Georg Thiel diz que os eleitores devem respeitar as medidas sanitárias, mas os cidadãos não vacinados podem, obviamente, votar pessoalmente nas assembleias de voto.

Portanto, esta alegação também é falsa. A desinformação tem se espalhado na Alemanha, como aconteceu em eleições anteriores. Tenha cuidado com o que vê online e pense antes de partilhar.